domingo, 18 de março de 2012

O espelho de Gandhi




"Perguntaram a Mahatma Gandhi quais são os fatores que destroem os seres humanos.Ele respondeu:A Política, sem princípios; o Prazer, sem compromisso; a Riqueza, sem trabalho; a Sabedoria, sem caráter; os negócios, sem ...moral; a Ciência, sem humanidade; a Oração, sem caridade.

A vida me ensinou que as pessoas são amigáveis,- se eu sou amável,
que as pessoas são tristes,- se estou triste,
que todos me querem, - se eu os quero,...
que todos são ruins,- se eu os odeio,
que há rostos sorridentes,- se eu lhes sorrio,
que há faces amargas,- se eu sou amargo,
que o mundo está feliz,- se eu estou feliz,
que as pessoas ficam com raiva, - quando eu estou com raiva,
que as pessoas são gratas, - se eu sou grato.

A vida é como um espelho: se você sorri para o espelho, ele sorri de volta.A atitude que eu tome perante a vida é a mesma que a vida vai tomar perante mim."

"Quem quer ser amado, ame."

AL*

Parábola do lago





"Um velho Mestre, vendo um dos seus discípulos muito triste, pediu-lhe que colocasse uma mão cheia de sal num copo de água e a bebesse. - "Qual é o gosto?" perguntou-lhe.- "É horrível" disse o jovem. O sábio Mestre sorri...u docemente e pediu-lhe então que levasse uma outra mão cheia de sal para um pequeno lago no curso do riacho que ladeava o mosteiro. Os dois caminharam em silêncio e, ao chegar, o discípulo lançou o sal nas águas límpidas do lago. Então... o Mestre disse-lhe: - "Bebe um pouco dessa água". E enquanto a água escorria da boca do discípulo, o Mestre perguntou-lhe: - "Qual é o gosto?".- "Muito refrescante e agradável!". - “E sentes o gosto do sal?”.- "Não" respondeu o jovem.Então o Mestre sentou-se ao seu lado, segurou a sua mão e disse-lhe serenamente: - “Tal como o sal, também a tristeza e o sofrimento não mudam. No entanto, o seu sabor e intensidade dependem de onde os colocamos. Ao elevarmos o sentido das coisas boas e agradáveis da vida perante as adversidades, transformamo-nos num belo e poderoso lago”.


AL*

Minha Criação 230






"Por sabedoria entendo a arte de tornar a vida mais agradável e feliz possível."


Arthur Schopenhauer


AL*

Minha Criação 229




"A palavra é tempo, o silêncio é eternidade."


Maurice Maeterlinck


AL*

Minha Criação 228



Esqueça essa história de querer entender tudo.

Em vez disso, VIVA,

em vez disso, DIVIRTA-SE!

Não analise, CELEBRE!...


Osho


AL*

Minha Criação 227




A vida deveria ser uma celebração contínua, um festival de luzes por todo o ano. Somente então você pode se desenvolver, você pode florir. Transforme pequenas coisas em celebração... Tudo o que você faz deveria expressar a si próprio; deveria ter a sua assinatura. Então a vida se torna uma celebração contínua.


Osho


AL*

Meu Vídeo 44




AROMA DE JASMIM

Escreve… em mim um poema de ternura,
Declama… os versos da loucura que me prende,
Prolonga… o Sol nos meus olhos,
Soletra… cada palavra com emoção,
Demora… no meu cais as tuas mãos,
Perde-te… do tempo aninhado no meu colo,
Deixa… que a chuva lá fora caia e o Sol se vá,
Navega… o rio de amor, nascente de vida, semente pura,
Flui… o mar às minhas margens,
Faz… de mim tua maré,
Colhe… deste jardim aromas de jasmim e todos os beijos,
Arde… fogueira brava em mim,
Faz-me… fonte dos teus desejos.

Autora: Isabel Vilaverde
Março de 2012


AL*





“A meditação é uma maneira de ir para dentro de si mesmo,de perceber que você não é o corpo e você não é a mente.É um modo de fixar em nós mesmos, no mais profundo centrodo nosso ser; e uma vez que você encontrou o seu centro,você terá encontrado tanto suas raízes quanto suas asas.”


Osho


AL*

A Arte de Viver, pela Fantasia



A fantasia é a mãe da satisfação, do humor, da arte de viver. Apenas floresce alicerçada num íntimo entendimento entre o ser humano e aquilo que objectivamente o rodeia. Esse ambiente envolvente não tem de ser belo, singular ou sequer encantador. Basta que tenhamos tempo para a ele nos habituarmos, e é sobretudo isso que hoje em dia nos falta.


Hermann Hesse


AL*

A Recuperação da Alma





Quando a uma árvore são cortados os ramos da copa, vão-lhe nascendo mais perto da raiz novos rebentos. Do mesmo modo, também as almas que ao despontar adoecem e quase fenecem regressam frequentemente à primavera dos ...sentimentos, à apreensiva infãncia onde tudo começa, como se aí pudessem encontrar novas esperanças e reatar o fio condutor da vida que antes fora quebrado. Os rebentos que brotaram perto das raízes anseiam por uma rápida ascensão, mas tudo não passa de uma ilusão, pois nunca a partir deles se voltará a desenvolver uma verdadeira árvore.


Hermann Hesse


AL*



“ Só no seu íntimo existe aquela outra realidade pela qual você anseia. Não posso dar-lhe nada que não exista dentro de você. Não posso abrir-lhe outra galeria de quadros além da sua própria alma”

Herman Hesse



AL*

O Meu Condão







“Quis Deus dar-me o condão de ser sensível


Como o diamante à luz que o alumia,


... Dar-me uma alma fantástica, impossível:


- Um bailado de cor e fantasia!


Quis Deus fazer de ti a ambrosia


Desta paixão estranha, ardente, incrível!


Erguer em mim o facho inextinguível,


Como um cinzel vincando uma agonia!


Quis Deus fazer-me tua... para nada! -


Vãos, os meus braços de crucificada,


Inúteis, esses beijos que te dei!


Anda! Caminha! Aonde?...


Mas por onde?


... Se a um gesto dos teus a sombra esconde


O caminho de estrelas que tracei...”




Florbela Espanca




Abraço-LUZ.

domingo, 4 de março de 2012

Portefólio Reflexivo de Aprendizagens



VÍDEO DE APRESENTAÇÃO A JÚRI DE CERTIFICAÇÃO: CONCLUSÃO DO PROCESSO RVCC DE NÍVEL SECUNDÁRIO.

Esta minha aventura de concluir o ensino secundário pelo processo R.V.C.C. tornou-se numa enorme viagem ao passado, revivendo-o.Foram vivências das quais já não me recordava e que, através de fotos e outras memórias, foi possível elaborar este Portefólio.
Não foi fácil! As horas passadas ao computador, o vasculhar dos álbuns de fotografias já esquecidos e a redacção de toda...s as experiências, tornaram esta tarefa frequentemente dolorosa, mas também muito compensatória.
Agora que terminou este processo, sinto-me profundamento realizado pelo trabalho desenvolvido ao longo destes meses, o qual foi, sem dúvida , dos que mais me preencheu e deu gosto concretizar.Mas, como é óbvio, o resultado final nunca seria atingido sem a preciosa colaboração de algumas pessoas.O meu mais profundo reconhecimento e agradecimento a:

* CNO do Fernão Pó, pela oportunidade que me deu de poder concluir este Ciclo;

* Professora Maria João Maria, Coodenadora do CNO Fernão do Pó, pela disponibilidade e por todo o apoio que me dispensou;

* Professores, Vera Fernandes, Elsa Pires, José Carlos Valério, pelo aconpanhamento permanente, disponibilidade total e empenho para que este trabalho fosse concluído com êxito;

* Finalmente, Professor Nicolau Borges, Avaliador Externo, presente no Juri de Certificação, pelos comentários que muito me tocaram e pela avaliação que fez do meu Portefólio.

O sucesso deste trabalho não é o meu sucesso. É um sucesso que partilho com todos vós, tal como o fiz com momentos, memórias, recordações e profundas emoções...A todos o meu Bem-Haja!
Ontem ( dia 29) foi um dia muito especial para mim)

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Meu Vídeo 43



"Talvez seja esse o imenso mistério ...se realmente conseguirmos interiorizar que a vida è uma mascara que carregamos e a qual mudamos os traços conforme os nossos humores diários, as nossas expectativas...os nossos temores.....e talvez seja mesmo por ai essa capacidade que cada um carrega em si ,essa metamorfose de se vestir de vários personagens conforme o tempo e as circunstancias....Vestir-mos vários personagens conforme o guião...."



São Gonçalves.



AL*

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Meu Vídeo 42



NO VAZIO DA LUZ

Morre lentamente o dia no vazio da luz…
No vago tempo, perdi-me dos teus abraços,
Espraiam-se marés de mágoas e cansaços,
Na noite que chega bordada a finos traços.
Baloiça saudade no vaivém das ondas,
Dos beijos de fogo em mim apagados
Sentidos, murmurados, por nós sufocados,
... Afagos dolentes nos corpos tocados…
Sonetos de amor por nós declamados.
Trago esta ausência em mim…
Fado de adormecidos silêncios
Que me choras no regaço,
Por vezes nem sei quem sou, o que quero,
Para onde vou, porque fico assim…
Busco o sorriso que se perdeu,
Preciso de ti neste poema,
Que respira a loucura de amar-te ainda…
Amor improvável que no tempo resiste,
É a dor em mim guardada
Que escreve este poema triste.

Poema da Autora: Isabel Vilaverde



AL*

Meu Vídeo 41



“Caro amigo.

Caro amigo, hoje te escrevo
Pois, assim, também desabafo um pouco
E sei que muitas voltas o mundo irá dar
Até que eu te possa reencontrar

É por isto que insisto
Nesta folha de papel
Que o Amor é o que se vai salvar
Enquanto tudo o resto o vento vai levar

Hoje sinto que a vida recomeça
Que posso chegar ao fim da festa
E com tudo o que assisti durante o ano
Percebi que a beleza da vida ainda está no Ser Humano

Mas, tudo está muito estranho
Tão estranho, que a Terra até parece em transe
O que tudo comanda é a força do dinheiro
Que persiste em impor-se e em sufocar o Homem

Será que já é tarde?
Ou será que é preciso
Cristo ressuscite novamente
E voltar para repetir tudo o que está já escrito?

Este planeta tão grande
Não pode ter sido feito por engano
O Autor dessa obra perfeita
De certeza que tinha um outro plano


Mais um grito de guerra
Invade o céu e espalha dor
Ameaçando, mais uma vez, explodir o planeta
Com lutas estúpidas, que nunca têm vencedor

Quanto mais se ganha,
Muito mais se quer ganhar
Porque se querem construir castelos
Que estão condenados a desmoronar?

Meu amigo, é isto o que te escrevo, aflito
O coração já não aguenta
Mas é esta dor que me sustenta

Sente, sente, sente
Sente, meu amigo
Ainda existe uma possibilidade
De afastar esta irracionalidade
E conquistar a esperança

Trazer para perto a paz
Que anda tão distante
Este desafio é a coisa mais importante
Para a nossa existência ainda ter algum sentido

E assim termino
E espero-te reencontrar
E com um forte motivo
Para nos podermos orgulhar e comemorar.”


José Carlos Valério

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Minha Criação 226



"Não é o medo da loucura que nos forçará a largar a bandeira da imaginação."

André Breton

AL*

Minha Criação 225



"Para o optimista todas as portas têm maçanetas e dobradiças, para o pessimista... todas as portas têm trincos e fechaduras."

William Arthur Ward

AL*