domingo, 18 de março de 2012

O espelho de Gandhi




"Perguntaram a Mahatma Gandhi quais são os fatores que destroem os seres humanos.Ele respondeu:A Política, sem princípios; o Prazer, sem compromisso; a Riqueza, sem trabalho; a Sabedoria, sem caráter; os negócios, sem ...moral; a Ciência, sem humanidade; a Oração, sem caridade.

A vida me ensinou que as pessoas são amigáveis,- se eu sou amável,
que as pessoas são tristes,- se estou triste,
que todos me querem, - se eu os quero,...
que todos são ruins,- se eu os odeio,
que há rostos sorridentes,- se eu lhes sorrio,
que há faces amargas,- se eu sou amargo,
que o mundo está feliz,- se eu estou feliz,
que as pessoas ficam com raiva, - quando eu estou com raiva,
que as pessoas são gratas, - se eu sou grato.

A vida é como um espelho: se você sorri para o espelho, ele sorri de volta.A atitude que eu tome perante a vida é a mesma que a vida vai tomar perante mim."

"Quem quer ser amado, ame."

AL*

Parábola do lago





"Um velho Mestre, vendo um dos seus discípulos muito triste, pediu-lhe que colocasse uma mão cheia de sal num copo de água e a bebesse. - "Qual é o gosto?" perguntou-lhe.- "É horrível" disse o jovem. O sábio Mestre sorri...u docemente e pediu-lhe então que levasse uma outra mão cheia de sal para um pequeno lago no curso do riacho que ladeava o mosteiro. Os dois caminharam em silêncio e, ao chegar, o discípulo lançou o sal nas águas límpidas do lago. Então... o Mestre disse-lhe: - "Bebe um pouco dessa água". E enquanto a água escorria da boca do discípulo, o Mestre perguntou-lhe: - "Qual é o gosto?".- "Muito refrescante e agradável!". - “E sentes o gosto do sal?”.- "Não" respondeu o jovem.Então o Mestre sentou-se ao seu lado, segurou a sua mão e disse-lhe serenamente: - “Tal como o sal, também a tristeza e o sofrimento não mudam. No entanto, o seu sabor e intensidade dependem de onde os colocamos. Ao elevarmos o sentido das coisas boas e agradáveis da vida perante as adversidades, transformamo-nos num belo e poderoso lago”.


AL*

Minha Criação 230






"Por sabedoria entendo a arte de tornar a vida mais agradável e feliz possível."


Arthur Schopenhauer


AL*

Minha Criação 229




"A palavra é tempo, o silêncio é eternidade."


Maurice Maeterlinck


AL*

Minha Criação 228



Esqueça essa história de querer entender tudo.

Em vez disso, VIVA,

em vez disso, DIVIRTA-SE!

Não analise, CELEBRE!...


Osho


AL*

Minha Criação 227




A vida deveria ser uma celebração contínua, um festival de luzes por todo o ano. Somente então você pode se desenvolver, você pode florir. Transforme pequenas coisas em celebração... Tudo o que você faz deveria expressar a si próprio; deveria ter a sua assinatura. Então a vida se torna uma celebração contínua.


Osho


AL*

Meu Vídeo 44


video



AROMA DE JASMIM

Escreve… em mim um poema de ternura,
Declama… os versos da loucura que me prende,
Prolonga… o Sol nos meus olhos,
Soletra… cada palavra com emoção,
Demora… no meu cais as tuas mãos,
Perde-te… do tempo aninhado no meu colo,
Deixa… que a chuva lá fora caia e o Sol se vá,
Navega… o rio de amor, nascente de vida, semente pura,
Flui… o mar às minhas margens,
Faz… de mim tua maré,
Colhe… deste jardim aromas de jasmim e todos os beijos,
Arde… fogueira brava em mim,
Faz-me… fonte dos teus desejos.

Autora: Isabel Vilaverde
Março de 2012


AL*





“A meditação é uma maneira de ir para dentro de si mesmo,de perceber que você não é o corpo e você não é a mente.É um modo de fixar em nós mesmos, no mais profundo centrodo nosso ser; e uma vez que você encontrou o seu centro,você terá encontrado tanto suas raízes quanto suas asas.”


Osho


AL*

A Arte de Viver, pela Fantasia



A fantasia é a mãe da satisfação, do humor, da arte de viver. Apenas floresce alicerçada num íntimo entendimento entre o ser humano e aquilo que objectivamente o rodeia. Esse ambiente envolvente não tem de ser belo, singular ou sequer encantador. Basta que tenhamos tempo para a ele nos habituarmos, e é sobretudo isso que hoje em dia nos falta.


Hermann Hesse


AL*

A Recuperação da Alma





Quando a uma árvore são cortados os ramos da copa, vão-lhe nascendo mais perto da raiz novos rebentos. Do mesmo modo, também as almas que ao despontar adoecem e quase fenecem regressam frequentemente à primavera dos ...sentimentos, à apreensiva infãncia onde tudo começa, como se aí pudessem encontrar novas esperanças e reatar o fio condutor da vida que antes fora quebrado. Os rebentos que brotaram perto das raízes anseiam por uma rápida ascensão, mas tudo não passa de uma ilusão, pois nunca a partir deles se voltará a desenvolver uma verdadeira árvore.


Hermann Hesse


AL*



“ Só no seu íntimo existe aquela outra realidade pela qual você anseia. Não posso dar-lhe nada que não exista dentro de você. Não posso abrir-lhe outra galeria de quadros além da sua própria alma”

Herman Hesse



AL*

O Meu Condão







“Quis Deus dar-me o condão de ser sensível


Como o diamante à luz que o alumia,


... Dar-me uma alma fantástica, impossível:


- Um bailado de cor e fantasia!


Quis Deus fazer de ti a ambrosia


Desta paixão estranha, ardente, incrível!


Erguer em mim o facho inextinguível,


Como um cinzel vincando uma agonia!


Quis Deus fazer-me tua... para nada! -


Vãos, os meus braços de crucificada,


Inúteis, esses beijos que te dei!


Anda! Caminha! Aonde?...


Mas por onde?


... Se a um gesto dos teus a sombra esconde


O caminho de estrelas que tracei...”




Florbela Espanca




Abraço-LUZ.

domingo, 4 de março de 2012

Portefólio Reflexivo de Aprendizagens



VÍDEO DE APRESENTAÇÃO A JÚRI DE CERTIFICAÇÃO: CONCLUSÃO DO PROCESSO RVCC DE NÍVEL SECUNDÁRIO.

Esta minha aventura de concluir o ensino secundário pelo processo R.V.C.C. tornou-se numa enorme viagem ao passado, revivendo-o.Foram vivências das quais já não me recordava e que, através de fotos e outras memórias, foi possível elaborar este Portefólio.
Não foi fácil! As horas passadas ao computador, o vasculhar dos álbuns de fotografias já esquecidos e a redacção de toda...s as experiências, tornaram esta tarefa frequentemente dolorosa, mas também muito compensatória.
Agora que terminou este processo, sinto-me profundamento realizado pelo trabalho desenvolvido ao longo destes meses, o qual foi, sem dúvida , dos que mais me preencheu e deu gosto concretizar.Mas, como é óbvio, o resultado final nunca seria atingido sem a preciosa colaboração de algumas pessoas.O meu mais profundo reconhecimento e agradecimento a:

* CNO do Fernão Pó, pela oportunidade que me deu de poder concluir este Ciclo;

* Professora Maria João Maria, Coodenadora do CNO Fernão do Pó, pela disponibilidade e por todo o apoio que me dispensou;

* Professores, Vera Fernandes, Elsa Pires, José Carlos Valério, pelo aconpanhamento permanente, disponibilidade total e empenho para que este trabalho fosse concluído com êxito;

* Finalmente, Professor Nicolau Borges, Avaliador Externo, presente no Juri de Certificação, pelos comentários que muito me tocaram e pela avaliação que fez do meu Portefólio.

O sucesso deste trabalho não é o meu sucesso. É um sucesso que partilho com todos vós, tal como o fiz com momentos, memórias, recordações e profundas emoções...A todos o meu Bem-Haja!
Ontem ( dia 29) foi um dia muito especial para mim)